Especializada em despacho aduaneiro

Blog

Exportação Direta e Indireta

Exportação Direta e Indireta
Investir em comércio exterior é uma maneira excelente de fazer com que sua empresa cresça. Porém, para que você possa fazer isso é preciso antes conhecer algumas coisas sobre esse ramo.

Aprender sobre exportação direta e indireta é uma das coisas fundamentais, desse modo você poderá entender qual a melhor modalidade de envio de mercadorias para o exterior.

Cada um desses dois métodos possui características específicas, você precisa definir qual deles combina melhor com seu negócio. Vamos aprender um pouco mais:

O que é exportação direta?

Para que uma empresa possa fazer a exportação direta, ela precisa fazer parte e ter o cadastro no Siscomex. Nesse tipo de exportação, a própria empresa é a responsável por fazer com que todo o processo ocorra. Sendo assim, além de fabricar a mercadoria, ela fica responsável por enviar para o exterior, incluindo toda a parte burocrática.

Para realizar esse trabalho a empresa deve ser muito experiente e eficaz, dificilmente empresas de primeira viajem conseguem agir desse modo.
Falando mais especificamente, a companhia deve ter um grande processo de gerenciamento logístico internacional para conseguir efetuar a exportação corretamente e sem problemas.

Será necessário que a empresa providencie o desembaraço e a liberação da mercadoria junto à Receita Federal. A autorização para operar com comércio exterior também deve ser conseguida.

Algumas instituições participam do processo de exportação direta e a empresa deve lidar com todas elas diretamente, entre elas está a Receita Federal, talvez a principal. Ainda atuam no setor o Banco central, responsável pelo controle cambial, o Banco do Brasil, que analisa os pedidos e a Fiesp, que faz a emissão os certificados de origem para exportações.

Vantagens e desvantagens da exportação direta

A exportação direta, assim como a indireta, possui pontos positivos e negativos, e é imprescindível analisá-los bem antes de decidir qual metodologia usar. Vamos começar analisando as desvantagens desse tipo de exportação.

Podemos resumir a grande desvantagem da exportação direta como sendo o alto custo de investimento. Fabricar mercadorias específicas, enviá-las para o exterior, passar por toda burocracia e vendê-la por lá não é uma tarefa simples, tampouco pode ser feita sem investir.

Talvez o principal custo seria com o setor pessoal, será necessário contratar especialistas no assunto e montar um setor na sua empresa apenas para cuidar desse processo. É impossível exportar diretamente sem especialistas ao seu dispor.

Tudo isso deve ser muito bem planejado e feito com eficiência, outros setores da empresa também terão trabalho dobrado, principalmente a logística e o marketing.
Portanto, esse método implica em um grande investimento financeiro inicial, e isso está fora de cogitação para empresas menores.

A recomendação é que a exportação direta seja usada por empresas que querem ter todo o controle do processo, sem envolver terceiros.

Uma das vantagens é que ao fazer todo o processo, você tem o poder de escolher exatamente com quem, onde, como e quanto operar. Quem optar por essa também terá total autonomia para decidir quais são suas próprias demandas e estratégias de mercado. Ao terceirizar seu produto você fica totalmente refém das decisões da outra empresa.

Ao longo do tempo, a chance de lucro será bem maior, já que você não precisará ficar refém de intermediários, além do mais, a visibilidade e internacionalização que sua marca tem ao trabalhar por si mesma é muito maior. Além do mais, um contato direto com o consumidor ajuda no desenvolvimento do produto.

O que é exportação indireta?

Tal qual o nome sugere, a exportação indireta é o oposto da direta, a empresa exporta sua mercadoria indiretamente, através do auxílio de uma empresa habilitada para realizar exportações.

Nas exportações feitas nessa modalidade, a empresa exportadora adquire o produto com a empresa fabricante e após isso os envia para outros países. Nesse caso, todo o processo de exportação e liberação junto à Receita Federal é de responsabilidade da exportadora.

Nesse caso, a empresa remetente deve mostrar na nota fiscal eletrônica que a remessa vendida possui fins de exportação. Nesse caso a empresa fabricante não possui contato com a vendedora no exterior. Ele apenas cede os produtos e não tem mais nenhum contato. Existem dois tipos de exportação indireta.

Quando a exportação indireta é feita por uma comercial exportadora, a empresa contratada faz apenas o trabalho de prestadora de serviço na exportação, nesse caso o remetente (produtor) é quem é o exportador.

Tanto a empresa que faz a exportação quanto o produtor são os responsáveis pelo desembaraço nos órgãos de fiscalização, incluindo o pagamento dos tributos.

O outro método é por encomenda, nele a trading company faz a compra da mercadoria fabricada pela empresa produtora e vende por conta própria no exterior, sendo assim, a exportadora é responsável pelo processo. Porém, as duas empresas precisam estar cadastradas no Radar Siscomex.

Vantagens e desvantagens da exportação indireta

Assim como a exportação direta, a indireta também possui vantagens e desvantagens. O principal ponto negativo é que ao exportar indiretamente você deixa de fazer sua marca se internacionalizar melhor, e o lucro também é menor. Além de tudo, você deixa de entender o mercado e perde a chance de expandir sua empresa.

Por outro lado, usar essa metodologia é mais rápido e menos complicado, você não precisará se envolver com as grandes burocracias que assolam a maioria dos países, e nem precisa saber bem como funciona o processo, já que a exportação não será feita por você.

Deixar que outra empresa venda seu produto no exterior também significa deixar de ter investimento em trabalhos e marketing internacional, deixar de ter funcionários e atividades caras e exaustivas sobre comércio exterior, além de deixar de fazer pesquisas de mercado. Em outras palavras, você deixa de ter um trabalho complicado.

E mesmo que o lucro seja menor do que o conseguido com a exportação direta, não deixa de ser lucro. E se for analisar o trabalho que você e sua empresa teriam com essa metodologia, pode parecer que vale mesmo a pena atuar na modalidade de exportação indireta.

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *